quinta-feira, 21 de novembro de 2013




“Anjo meu”

Mesmo que o amanhã seja incerto  
é certo que serei para sempre seu anjo,
pois ao vislumbrar a pureza do seu olhar
descobri verdadeiramente o que amar.

Aprendi a valorizar o que de melhor a vida
nos dá: sabedoria, simplicidade e humildade.

Viver a vida em sua maior plenitude é 
o que desejo quando estou ao seu lado,
viajando pelos sonhos me encontro
num mundo especialmente fantasiado .

Vemos o mundo sob a ótica da razão, 
mas sem dispor dos saberes do coração.

E é com essas poucas palavras que venho
lhe falar, nesta data tão célebre, o quão
especial você é para mim e dizer-te que
és e será eternamente meu anjo.

Maria Paixão - 2013
















SAUDADE

Sem pedir para lembrar vejo
A imagem do teu rosto,
Uma visão que me provoca.

Dor igual a essa não tem
Amarga, mas não tem gosto
Distância esta que me sufoca.

E só sabe o quanto dói quem já
Sentiu saudades de alguém.


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Amar Alguém



Não basta dizer um ‘eu te amo’ 
Para provar a existência do amor. 
Não basta o cair de uma lágrima 
Para simbolizar que tudo acabou.

Amar é fazer-se presente, mesmo  
os corpos físicos estando ausente.  
É despertar o brilho nos olhos ao  
se encontrarem ocasionalmente.

É desabrochar um sorriso com os
gestos a cariciar, prova de amor  
maior que essa certamente não há.

O sentimento pode não jazer para
sempre, mas deve ser eternamente  
sólido e verdadeiro enquanto durar.

(Marya Paixão) 
                                                                                                                                                                                
                                                                                
                                                                                                                                                                                                                                                                                              
                                                                              
                                                                                    

sábado, 25 de maio de 2013

poema: ROSA BRANCA

 
ROSA BRANCA
Oh, como és bela e formosa
Minha Rosa branca.
Que encanta meus jardins,
E os meus dias. 
 
Oh, Rosa branca
Por que tão cedo partiu
Levando contigo seu perfume
Deixando em mim um grande vazio.
 
Oh, Rosa branca de textura tão macia,
Com aroma capaz de elevar a
Mais intensa fantasia.
Essa é a rosa que me seduz,
Com sua eterna magia.
 
Oh, Rosa branca que me fascinou.
Com apenas um olhar me conquistou,
Mas tão cedo desfolhou.
(Marya Paixão)

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Poema sobre Barreiras


 
 
 
 
 
"Em busca do que foi"

Barreiras, cidade que me acolheu.

Antes repleta de árvores, flores e

Rios exuberantes, mas hoje tudo pereceu.

Restando apenas a lembrança dessa antiga cidade e a

Esperança de um dia vê-la bela e cuidada novamente.

Imaginar que devido à poluição nossos rios podem secar,

Rios estes que nos fornecem o líquido vital: a água.

A responsabilidade de cuidar da cidade é de todos nós, pois é

Semeando as boas sementes em nossa cidade que ela nos dará bons frutos.
                                                                                       (Maria Paixão)

domingo, 13 de janeiro de 2013

MÁSCARAS













                                                               

Chega!
estou farta
do falso moralismo.

Chega!

De mentiras mal contadas
crianças nas calçadas
implorando pela vida
em plenas madrugadas.

Chega!

De tanta violência,
imprudência, que só
levam a uma eterna
guerra sangrenta.

Chega!

De um discurso sem ação
de pregar a paz sem ter
amor no coração
de almejar o sucesso e
esquecer da educação.

Chega!

De olhar sempre em volta
e apenas se vê
de achar que o mundo
gira em torno de você.

Chega!

A hora é agora
tire as máscaras e
mude sua história.

(Marya Paixão)

 

 

 

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

PERIGOSA


PERIGOSA

Vem surgindo de repende
Toda, toda saliente
Com jeitinho sempre faceira,
Mas é cobra traiçoeira. 

É misteriosa e envolvente
Seja dia, seja noite
Tem olhar de serpente
Faça chuva ou faça sol
Ela está sempre presente. 

Se disfarçar de brejeira,
Menininha inocente,
Mas no fundo ela é
Uma cobra indecente. 

Está sempre pronta
A nos dar uma rasteira
Com ar de feiticeira,
sedutora e experiente
engana a gente a vida inteira.

Porque ser tão perigosa,
Venenosa e briguenta?
Mostre sua cara
Cobra peçonhenta!
                                                                       (Maria Paixão)